Ignorância ou hipocrisia: por que razão a mídia não fala do terror na Síria?

Share Button

Habitantes da cidade de Deir ez-Zor, foto de arquivo - 26 de setembro, 2013

Um site analítico independente francês, o Voltaire Network, compilou uma lista de ataques terroristas contra cidadãos sírios no período de janeiro até abril de 2016. A lista, com mais de 10 páginas, coloca uma questão: por que razão a mídia ocidental continua guardando silêncio sobre o drama do povo sírio?

O cessar-fogo na Síria, que entrou em vigor em 27 de fevereiro, tem sido mantido, com algumas exceções, durante mais de dois meses.

Infelizmente, os cidadãos sírios continuam sofrendo ataques e morrendo às mãos de jihadistas, alguns de quais são descritos como “oposição moderada” pelos governos ocidentais e a mídia.

Distrito de Saif al-Dawla, em Aleppo, Síria
© REUTERS/ HOSAM KATAN/FILE PHOTO

O Voltaire Network contabilizou mais de 120 ataques, incluído bombardeamentos, atentados suicidas, explosões de carros-bomba, metralhadoras e outros atos de violência. A lista também inclui um massacre de 300 homens, mulheres e crianças que aconteceu em 16 de janeiro em uma aldeia de Baghilliyah.

Embora o acordo de cessar-fogo tivesse sido assinado, os ataques continuam, tendo o site descrito detalhes de mais 55 ataques desde então, incluindo assaltos com metralhadoras,  suicídios e detonações de dispositivos explosivos. Em total, só durante três meses, desde 1 de janeiro até 31 de março, o Voltaire Network registrou cerca de 180 ataques. Muitos deles foram realizados por grupos ligados com o Daesh e a Frente al-Nusra.O site destaca que “a mídia ocidental não quer falar sobre o terrorismo na Síria”, nem sobre o fato de que estes ataques são cometidos por militantes estrangeiros e rebeldes sírios que recebem dinheiro e suporto dos EUA, UE, Qatar Arábia Saudita, Israel e Turquia.

 

Share Button

Deixar um comentário