GT Árabe completa sua 50ª Reunião.

Share Button

Por Claude Hajjar.

Este evento com o embaixador da Síria no Brasil, que temos a honra de receber no dia de hoje, é parte das comemorações dos três anos de fundação do nosso Grupo de Estudos e Pesquisa do Mundo árabe, que carinhosamente passamos a chamar simplesmente de GT Árabe. Chegamos hoje à nossa 50ª reunião.

Surgimos da necessidade que alguns cidadãos sentiram de criar um espaço de troca e de interlocução com o outro, seu parceiro nas ideias e ideais e com as quais já vinham trabalhando na questão Árabe Palestina desde dezembro de 2008 quando do ataque de Israel à Gaza. Entre temos remanescentes da fundação do primeiro Comitê de Solidariedade ao Povo Palestino de setembro de 1982 quando do massacre de Sabra e Chatila.

O ano de 2009 foi intenso e com inúmeras solicitações da imprensa para que entidades e seus representantes ou mesmo estudiosos e pesquisadores de questões árabes e sobre a Palestina eram convidados a participar de debates na TV e também entrevistados por jornais e revistas. Cada um de nós sentia que precisava se preparar e estudar para dar conta da responsabilidade de poder defender num espaço mais amplo, que é a imprensa, uma questão de direito e altamente complexa como é a questão árabe e palestina.

Muitos de nós já nos havíamos mobilizado e já estudávamos isoladamente, quando, em dezembro de 2009 verbalizamos esta necessidade e convocamos a primeira reunião para 20 de janeiro de 2010, com um número modesto de participantes, porém, todos selecionados e interessados em ler, escrever e debater os temas urgentes da problemática árabe e do Oriente Médio em geral. Ocupava também nossa atenção avaliar as ações geoestratégicas do Oriente Médio e as conjunturas políticas decorrentes destas macro ações políticas. Nosso Grupo hoje é composto por empresários, jornalistas, profissionais liberais, professores e pesquisadores. Temos entre nós brasileiros, mas também árabe-descendentes e, entre esses, destacam-se os de origem síria, libanesa, palestina e egípcia.

O ano de 2010 foi um ano de transição política e o nosso Grupo teve como foco ajudar na eleição de Dilma Rousseff como sucessora do presidente Lula, para poder garantir assim a continuidade da política externa brasileira no que diz respeito ao Oriente Médio, com a qual sempre estivemos de acordo.

Passamos três anos concentrados, atentos, lendo, divulgando, estudando; alguns escrevendo, outros respondendo a jornais, concedendo entrevistas.

Alguns de nossos membros hoje estão no exterior estudando e se aperfeiçoando. Uma doutora pela Sorbone e outra mestranda na Universidade de Bordeaux. Temos vários mestres e doutores no GT Árabe, especialistas e arabistas.

Tivemos excelentes encontros com entidades coirmãs e que compartilham muitas de nossas metas e objetivos, entre elas se destacam a Fearab, a Fepal, o Cebrapaz, a BibliASPA, o Instituto Jerusalém e o Portal Arabesq; partidos políticos como o PCdoB, PT, Pátria Livre, assim como partidos estrangeiros e aliados como, o PC Libanês, o Partido Socialista Árabe Baath e o PNSS.

Tivemos uma participação ativa e construtiva na fundação do “Comitê pelo Estado Palestina Já” em 28 de agosto de 2011 e na passeata dos três mil em São Paulo pela criação do Estado da Palestina. Naquele mesmo ano organizamos na ALESP no dia 29 de novembro a Sessão Solene de Solidariedade aos Palestinos com 200 pessoas.

Estivemos na linha de frente da organização e realização do “Fórum Social Mundial Palestina Livre” ocorrido em Porto Alegre entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro de 2012, da qual tivemos a participação de mais de 15 mil pessoas de 40 países e 200 organizações. O maior evento mundial da solidariedade para com os palestinos já realizado no mundo.

Ainda em 2012 organizações em parceria com outras entidades, o dia 30 de Março, Dia da Terra dos Palestinos, na Faculdade Cásper Líbero, evento com mais de 500 pessoas. Ainda para lembrarmos os 30 anos do Massacre de Sabra e Chatila, organizamos evento no Clube Homs no dia 18 de setembro com mais de cem pessoas.

Acompanhamos sempre de perto as eleições libanesas, egípcias entre outras. Debatemos e vimos estudando esse tema, os levantes dos povos árabes em todo o Oriente Médio.

Mas, a partir de 2011 cada vez mais o foco e a concentração de nossos esforços tem ido em direção à Síria. A Síria laica, soberana e que luta com dignidade pela integridade de seu território e pela manutenção de suas instituições vem sendo atacada a partir do exterior. Sofremos muito com a desinformação, mas graças à diversidade do grupo e às inúmeras habilidades desenvolvidas com as modernas tecnologias, conseguimos acesso à notícia real, que desmente sempre o ato noticiário dos órgãos de mídia e imprensa local no Brasil que reproduzem apenas o que as agências controladas pelo imperialismo e o sionismo escrevem e falam. Membros de nosso Grupo de Estudos e Pesquisa leem e falam fluentemente o árabe, o inglês, o francês e o espanhol. Buscamos também informações em todas as redes sociais. Enfim, usamos, com muito rendimento, o instrumento da Internet.

O grupo aprendeu a sobreviver no meio ao caos da desinformação.

Agradeço ainda a presença em nossas reuniões do Dr. Ghassan Obeid Mui digno Cônsul da República Árabe da Síria em São Paulo que sempre nos tratou com amizade e carinho, bem como ao embaixador Ibrahim Al Zeben, hoje decano dos embaixadores no Brasil que com tão brilhantismo representa o Estado da Palestina.

Membros de nosso GT organizaram a 1ª Missão de Solidariedade ao Povo Palestino, ocorrida entre os dias 10 e 20 de junho de 2012 e agora entre os dias 11 e 22 de abril próximo, pretendemos enviar pelo menos mais trinta pessoas na 2ª Missão de Solidariedade aos Palestinos que o CEP organiza da qual membros do GT são figuras centrais.

As linhas mestras que orientam o foco e dão a diretriz ao GT Árabe são as seguintes:

1. Somos um grupo de caráter laico – ainda que multireligioso –, plural e progressista preocupado com o desenvolvimento, o progresso e a prosperidade das populações árabes e de toda a humanidade;

2. Acreditamos no ensino, na pesquisa, no treinamento para o trabalho e no desenvolvimento do potencial humano como instrumentos que darão o caráter afirmativo da vida dos cidadãos;

3. Acreditamos que a Cultura e Civilização Árabe, que ajudou a construir a Europa e a América tiveram, seus direitos e domínios usurpados seja pelo capitalismo desenfreado seja por um fundamentalismo tosco. O trabalho deste grupo visa a retirar os escombros por sob a qual jaz aniquilado o legado Árabe e reapresentá-lo como de direito para Estudos Comparados e debates nas universidades e instituições de pesquisa, torná-lo accessível a cada cidadão americano e árabe. Enaltecemos o legado que essa civilização deixou para a humanidade como um todo;

4. Acreditamos que o papel do Americano Árabe no Cone Sul encontra muita identificação e empatia na população local e assim podemos aproximar mais ambas as mentalidades e culturas;

5. Por fim, apoiamos com firmeza esse novo ciclo político e de desenvolvimento nacional iniciado em 2003 com o presidente Lula e seguido pela presidente Dilma Rousseff.

O Futuro e os desafios que nos aguardam

Nosso grupo pretende neste quarto ano começar a operacionalizar as suas ideias e avançar na criação de um “Centro de Estudos, Pesquisas, Ensino em Geopolítica do Oriente Médio”.

Deixamos aqui nosso testemunho sobre a dificuldade em encontrar fontes de financiamento para projetos desta envergadura. Quando falamos de um Centro de Estudos e Pesquisas, sempre esbarramos em bolsas de estudos, viagens, materiais de pesquisa. Queremos também que este Centro venha a ser uma instituição laica, plural, democrática e progressista, que defenda a ciência e a pesquisa.

Lançamos a todos e todas este desafio da busca do financiamento para o nosso Centro de Estudos e que possamos sim, continuar a crer e trabalhar por um mundo de paz e progresso, ao mesmo tempo em que pedimos apoio dos presentes. Agradecemos a presença de todos neste nosso singelo evento de aniversário de três anos.

São Paulo, 16 de janeiro 2013.

Pela Coordenação do GT Árabe.

Memória da 50ª Reunião do GT Árabe

1. Data da Realização: Dia 16 de janeiro de 2013 – Quarta-feira. Auditório do 6º andar do CC do PCdoB – Rua Rego Freitas, nº 192, Vila Buarque – Horário das 19h20.

2. Membro do GT presentes: Ali El Khatib; Claude Fahd Hajjar; Lejeune Mirhan; Mauro Kurban; Assad Frangieh; Babel Hajjar; Carlos Tebecherani Haddad; Eduardo Felício Elias; Emir Mourad; Fuad Achcar; Jamil Murad; Khaled Fayez Mahassen; Luciana Garcia; Natália Forcat; Paulo Daniel Farah; Rosângela Falzoni; Rubens Diniz; Saumar Hajjar.

3. Ausências por Moradia Fora da Capital: Kika Turcius, Elsa Hachem, Jamile Latif, Abdel Latif, Samuel Salinas e Anaoã Rajab.

4. Ausências Justificadas: Cláudio Daniel.

5. Sem informações: Liliana Farah; Marie Christine Bonduki; Michel Saccab e Nathaniel Braia.

6. Apoiadores e Amigos Presentes: Rezkalla Tuma e Socorro Gomes

7. Mesa Coordenadora dos Trabalhos: Claude Fahd Hajjar e Assad Frangieh.

8. Entidades Presentes:

8.1. Partidos: PCdoB; PT; PPL; PCB; PC Libanês; PNS Sírio; PNSS;PSA Baath Sírio; Consulta Popular;

8.2. Entidades Árabes: FEARAB (América e SP); FEPAL; Instituto Jerusalém do Brasil; BibliASPA; Centro Cultural Árabe Sírio; El Marada;  Esporte Clube Sírio; Sociedade Islâmica;

8.3. Entidades Sindicais: CTB; CGTB; Fenam (médicos);

8.4. Instituições em Geral: CMB (mulheres); FDIM; Cebrapaz; IECINT; Conselho Mundial da Paz; Revista Brasil Mulher; Coletivo de Mulheres Ana Montenegro; Vila Vudu; Organização em Defesa da Cidadania; Esquerda Unida;

8.5. Autoridades e Personalidades: Embaixador Mohammed Khaddour, da República Árabe da Síria; Deputado Estadual Adriano Diogo (PT/SP); Robson Lorono (Secretário-geral do CRE da CET); Madalena Sales (presidente da CIPA da CET).

9. Público estimado: 60 pessoas passaram na catraca do prédio do PCdoB;

10. Evento Debate:

A.Claude Fahd Hajjar : Dá início aos trabalhos e pede um minuto de silencio em respeito aos inúmeros mártires sírios que perderam a vida nesta guerra. Em seguida faz a leitura do seu pronunciamento pelos três anos do GT Árabe ( segue anexo)

B. Assad Franghié apresentou o tema-aula sobre a real situação da luta na Síria com a localização das tropas dos diversos países que estão apoiando os rebeldes e mercenários: Catar, Arabia Saudita, EUA, França, Inglaterra, Turquia e como o Exercito Sírio está trabalhando e cercando os rebeldes.

C. Palestrante principal: Embaixador Mohammed Khaddour, da República Árabe da Síria, que teve a tradução de sua exposição feita pelo Dr. Assad Frangiéh. Foi distribuído aos presentes um documento de três páginas com o plano proposto pelo governo sírio sobre as três etapas da transição política no país para sair da crise.

11. Oradores: Fizeram uso da palavra os representantes das seguintes instituições: PCdoB; PC Libanês; PT; CGTB; Fepal; Fearab; Esporte Clube Sírio; PCB; Consulta Popular; Fenam (médicos); CMB;

Após 22h30, o evento foi encerrado. A presidente dos trabalhos, Drª Claude Hajjar agradeceu muito a presença de todas as pessoas e representantes das entidades. Apontou as perspectivas para 2013 na linha de criarmos um Centro de Estudos de caráter acadêmico e de pesquisa e formação e disse esperar contar com o amplo apoio das entidades e de setores da sociedade brasileira.

Anexo vão dois documentos: o primeiro, o discurso de balanço dos três anos da existência do GT Árabe e outro que são os membros fundantes e atuais do GT.

São Paulo, 16 de janeiro de 2013.

Drª Claude Fahd Hajjar

Coordenadora dos Trabalhos

Prof. Lejeune Mirhan

Relator

 

Anexo 1

Membros do GT de Estudos Árabes Constituído em 20 de Janeiro de 2010

Membros Que Compareceram à Reunião de Constituição:

1. Ali El Khatib – sociólogo e administrador, coordenador do Núcleo de Estudos Árabes da FACCAMP e diretor-superintendente do Instituto Jerusalém do Brasil.

2. Claude Fahd Hajjar – psicóloga, psicanalista, escritora e empresária. Vice-presidente da FEARAB América.

3. Lejeune Mirhan – sociólogo, escritor e professor.

4. Mauro Kurban – servidor público do Estado de São Paulo e diretor da FEARAB/SP.

5. Samuel Sérgio Salinas – procurador de justiça aposentado, sociólogo, escritor e jornalista.

6. Tammam Daaboul – odontologista e jornalista, editor do portal Arabesq.

Membros Admitidos Posteriormente à Constituição:

7. Abdel Latif – médico palestino.

8. Anaoã Rajab – administradora de comércio exterior.

9. Assad Frangieh – médico e diretor geral da Brasil Medicina.

10. Babel Hajjar – publicitário.

11. Carlos Tebecherani Haddad – advogado, engenheiro, professor e pesquisador, além de empresário.

12. Cláudio Daniel – escritor e poeta, doutorando na USP e diretor da revista Zunái.

13. Eduardo Felício Elias – advogado e empresário, presidente da FEARAB/SP.

14. Elsa Hachem – socióloga e doutora em Sociologia pela Sorbone, em Paris e pesquisadora de mundo árabe.

15. Emir Mourad – engenheiro e secretário-geral da FEPAL.

16. Fuad Achcar – advogado e diretor do Esporte Clube Sírio.

17. Jamil Murad – médico, ex-deputado estadual, federal e vereador e presidente do PCdoB de São Paulo.

18. Jamile Latif – advogada e diretora da FEPAL.

19. Khaled Fayez Mahassen – jornalista e empresário do turismo, diretor da revista Sawtak.

20. Liliana Farah – economista, doutora em relações internacionais e professora da UNIP.

21. Luciana Garcia – advogada e pesquisadora na USP.

22. Maria Quitéria Turcius – professora de literatura e mestranda na Universidade de Avigñon, França.

23. Marie Christine Bonduki – advogada.

24. Michel Saccab – medico e diretor do Esporte Clube Sírio.

25. Natália Forcat – artista plástica.

26. Nataniel Braia – engenheiro e jornalista. Editor internacional do Jornal Hora do Povo e da revista Oriente.

27. Paulo Daniel Farah – Doutor em história. Professor da USP e presidente da BibliASPA.

28. Rosângela Falzoni – administradora e funcionário do Banco do Brasil.

29. Rubens Diniz – psicólogo e diretor do Cebrapaz e IECINT.

30. Saumar Hajjar – cientista da computação e desenvolvedor de software.

Apoiadores e Amigos:

Ghassan Obeid – doutor em direito comercial e cônsul geral da Síria em São Paulo.

Ibrahim Al Zeben – jornalista e embaixador do Estado da Palestina no Brasil.

José Reinaldo de Carvalho – jornalista e editor do portal Vermelho.

Rezkalla Tuma – empresário.

Ricardo Abreu – economista e secretário de RI do PCdoB.

Socorro Gomes – professora e presidente do Conselho Mundial da Paz e do Cebrapaz.

 

 

 

Share Button

Deixar um comentário