Takfirismo, Wahabista e Terrorismo

Share Button

Nota oficial da Embaixada da República Árabe da Síria no Brasil.

Com base na união dos esforços internacionais para combater o terrorismo, especialmente o dever de cada país membro da ONU em abster-se de organizar ou incitar qualquer ação terrorista em outros países e sob a crescente vertente do takfirismo*, wahabista* que vem tomando conta do mundo e ceifando milhares de vidas inocentes nas mais diferentes regiões da Síria, assim como ocorreu e ocorre no Iemen, no Iraque, na Argélia, no Afeganistão e em outros países, fato que vem configurando uma extrapolação gritante de todos os valores humanos e uma violação flagrante à clareza dos mandamentos da religião muçulmana e seu pensamento elevado;

Após a análise de alguns livros escolares distribuídos pelas aditâncias culturais da Arábia Saudita nas mais variadas regiões do mundo, alguns deles trazidos para a Síria, para as regiões onde entraram os grupos terroristas armados, especialmente nas províncias do nordeste e as tentativas dos seguidores deste pensamento wahabista takfirista de disseminar tais livros, a República Árabe da Síria alertou-se para o perigo destes métodos de ensino editados pelo regime saudita, que busca influenciar as mentes das crianças na sua primeira fase escolar e as mentes dos jovens na fase adolescente, semeando, deste modo, o pensamento suicida para cometimento de embustes e explosões criminosas e ligando este pensamento ao entendimento distorcido do Jihad na doutrina islâmica.

O perigo destes métodos de ensino está explícito em vários aspectos, dentre os mais importantes estão os seguintes:

1- Estes livros contrariam os métodos de ensino baseados na interpretação e aplicação correta dos mandamentos da religião muçulmana, que prevê, essencialmente, o respeito às outras religiões e doutrinas.

2- Estes métodos de ensino e livretos têm como alvo uma fase perigosa em termos de ensino, visto tratar-se do ensino fundamental e preparatório, fases onde se estabelece o pensamento e crenças, posteriormente transformadas em comportamento. Eles formam um pensamento destrutivo nas cabeças dos jovens muçulmanos, que passam a considerar os cristãos e os seguidores das outras vertentes muçulmanas como pecadores. Assim como consideram pecadores os visitantes dos túmulos de líderes religiosos ou aqueles que não praticam a oração, apesar da destruição de túmulos ser contrária aos ensinamentos, valores morais, relações sociais e aos verdadeiros mandamentos do Islã.

3- Dentre os livros que pregam este pensamento distorcido, distribuídos nas regiões controladas pelos grupos terroristas armados, estão: O livro Tawhid (pregação do Deus único) da 1ª. a 5ª. série e o livro “A jurisprudência e o comportamento” da 2ª. a 6ª. série.

4- O regime saudita acredita na universalização do pensamento wahabista e para isso envia suas missões takfiristas e terroristas para todas as partes do mundo, portanto a Arábia Saudita passou a ser uma fonte mundial de encubação de terroristas e takfiristas, além de ser a maior fonte de financiamento da organização Al Qaeda e dos grupos muçulmanos radicais. Estas informações estão assinaladas no relatório do Secretário Adjunto do Tesouro americano, Stuart Levey, apresentado durante a sessão da Comissão Financeira do Senado americano, em 1º. de abril de 2008.

5- O regime saudita, a muito tempo, vem ensinando seus filhos a linguagem do takfirismo e do ódio ao próximo, através de seus métodos de ensino utilizados em todas as fases de estudo. Eles pregam a cultura da violência e do radicalismo e que todos aqueles que divergem da interpretação wahabista são pecadores ou transviados e devem se arrepender ou morrer. A Arábia Saudita tenta, de todas as formas, ampliar o círculo do takfirismo e da desinformação através dos métodos mencionados.

6- Estes métodos são baseados no pensamento de que é permitido matar os inocentes, é permitido o assassinato aleatório, é permitida a explosão de carros minados e é permitida a ação suicida a todos os que vão ao encontro da morte acreditando que abraçarão as virgens no paraíso assim que cometerem o suicídio. Tudo isso ocorre sob as bênçãos e fatwas (julgamentos) dos líderes religiosos da Arábia Saudita, fato que aumenta o encorajamento dos suicidas e legitima seu terrorismo, incentivando os outros a seguirem pelo mesmo caminho.

7- Existe uma ligação sólida entre o pensamento wahabista e o terrorismo. Os wahabistas baseiam-se na internet para disseminar seus pensamentos e nos canais via satélite e rádios que adotam este mesmo pensamento. Alguns deles são transmitidos da própria Arábia Saudita e recebem apoio de seu regime. Estes canais são plataformas para a disseminação deste pensamento takfirista e através delas ocorre a incitação contra os seguidores das outras religiões e dos muçulmanos seguidores de outras doutrinas ou vertentes.

Diante desta perigosa situação, a República Árabe da Síria soa o alarme ao mundo para combater este pensamento obscurantista takfirista terrorista radical e para que se proíba sua divulgação e disseminação no mundo, especialmente através das aditâncias culturais sauditas baseadas em suas embaixadas nos mais diferentes países do mundo e para que os que emitem as fatwas e incitam as matanças através de ações terroristas sejam inseridos nas listas de terroristas e apresentados aos tribunais sob a acusação de incitação à matança.

· Wahabismo: Vertente do Islamismo radical adotado pela Arábia Saudita que prega a interpretação literal do Alcorão e considera hereges dos demais países muçulmanos por não seguirem seu radicalismo interpretativo.

· Takfirismo: Todos aqueles que não seguem o Islã wahabista são considerados hereges e, portanto, devem se arrepender ou morrer.

Tradução: Jihan Arar

Share Button

Deixar um comentário