Síria: Análise Baseada em Evidências Versus Narrativas de Propaganda 1

Share Button
Por Mark Taliano

Global Research, 26 de abril de 2017

O presidente da Síria, Bashar al-Assad, não é um ditador brutal. Ele é um oftalmologista de fala suave, trilingüe, eleito pelo povo sírio.

Os terroristas sectários do Ocidente são ditadores brutais. Quando eles ocupam cidades sírias, eles impõem a lei Sharia, e obrigam o cumprimento dos residentes. Aqueles que abertamente apoiam o governo, ou pertencem a grupos minoritários são muitas vezes assassinados. As mulheres são subjugadas, a dissidência não é permitida, e várias estratégias coercitivas, incluindo fome e tortura, são comuns.

Dr. Bashar al-Assad não é um tirano. Antes da mudança de governo / guerra suja da Otan contra a Síria, a Síria era uma história de sucesso “pós-colonial”. Os sírios, independentemente da sua idade, sexo ou afiliações étnicas ou religiosas, tinham educação e cuidados de saúde gratuitos no contexto de uma sociedade pluralista liderada por um governo secular. Igrejas e mesquitas se erguiam, e ainda se mantinham lado a lado, e os sírios se identificavam primeiro e acima de tudo como sírios, e não por identidades religiosas ou étnicas.

Os terroristas patrocinados pela OTAN e seus líderes da OTAN são tiranos. Seus proxies impõem uma ideologia bárbara sobre os sírios como saqueiam, saqueiam, destroem e conquistam. Os imperialistas ocidentais procuram destruir a civilização síria e sua identidade secular.

Presidente al-Assad não atacou com gás seu próprio povo. Os ataques de armas químicas de 2013 foram perpetrados por terroristas da OTAN com vista a fornecer um pretexto falso para uma expansão da agressão de guerra da OTAN contra a Síria.

Mais recentemente, o alegado ataque químico em Khan Shaykhun também provou ser um incidente de bandeira falsa. Dr. Theodore Postol recentemente observou em “Correção Importante: O Ataque de Agente Nervoso que Não Ocorreu, Khan Sheikhoun, Síria” .

“Os fatos estão agora muito claros – há evidências muito substanciais de que o Presidente(americano) e seu pessoal tomaram decisões sem qualquer inteligência, ou muito mais provavelmente ignoraram a inteligência da comunidade profissional que lhes foi dada, para executar um ataque no Oriente Médio Que tinha o perigo de criar um confronto militar inadvertido com a Rússia.”

O professor Tim Anderson explica detalhes do ataque da falsa bandeira  no seguinte gráfico:

Informação de Contra-Propaganda – Demonização de Assad serve para encravar mais profundamente a guerra na Síria

Pontos chave sobre a última guerra de propaganda contra a Síria

Ataque químico de falsa bandeira em Khan Shaykun

1. A Síria não tem razões para usar armas químicas conta jihadistas sectários em Idlib; Somente a Al Qaeda se beneficiou.

2. O grupo de jihadistas infiltrados, os Capacetes Brancos, postaram seus “resgatados” dos “barris de gas clorine” 16 horas mais cedo, pré-planejado desajeitadamente .

3.O Expert forense dos EUA, Prof. Ted Postol, demonstra que a “cratera de sarin” foi causada por uma explosão em solo, não um ataque aéreo.

4. Postol mostra que: “não há evidência alguma” que munição química veio de uma aeronave. A história da Casa Branca “não pode ser verdade”

5. Todas as informações sobre este ataque veio da midia ligada aos Jihadistas. Nem os EUA nem a OPCW querem uma investigação independente.

6. Os “salvadores” da Al Qaeda não usaram proteção adequada para um ataque de composto que age sobre o sistema nervoso, e nem foram imediatamente afetados como seria esperado.

7. Esta é uma das muitas “falsas bandeiras” na Síria ocorridos nos últimos 6 anos.

O governo sírio não mata intencionalmente o seu próprio povo. As imagens de torturas e mortes de “Caesar” – que supostamente são evidências de que Assad tortura e mata seu próprio povo – há muito tempo foram provadas fraudulentas, uma das primeiras de uma longa série de eventos encenados, usadas para criar pretextos falsos para a guerra ilegal baseados em motivos “humanitários”.

Na verdade, o governo da Síria oferece amnistia aos terroristas locais – sabendo muito bem que alguns foram coagidos a se juntar às fileiras de terroristas – e fornece “corredores humanitários” fora das áreas ocupadas, todos com vistas a limitar o número de vítimas.

Os terroristas da OTAN assassinam deliberadamente civis da Síria inocentes como parte de seu modus operandi. Toda a operação militar pré-planejada contra a Síria foi projetada para matar os sírios. Sanções ilegais matam com intenção, como fazem proxies terroristas. Bombas de gás canister, cheias de explosivos e pregos, etc. são lançadas repetidamente em áreas civis, e os terroristas são mantidos bem armados por sua OTAN e seus benfeitores.

As falsas narrativas alimentadas todos os dias para os consumidores de mídia dominante é, de fato, uma propaganda criminosa controlada, que serve como um apêndice de agendas anti-democráticas de estado escuro globalmente.

Traduzido por Oriente Mídia

Share Button

Um comentário sobre “Síria: Análise Baseada em Evidências Versus Narrativas de Propaganda

  1. Responder MAURO HENRIQUE abr 30, 2017 20:28

    Concordo.

Deixar um comentário