Sem vergonha turca na boca de seu Embaixador 2

Share Button

Por Fuad Achcar*.

Em entrevista concedida à Folha de São Paulo, na edição de 27 de março de 2.012, o Sr. Ersin Erçin embaixador da Turquia no Brasil afirmou que seu governo apostava no colapso econômico da Síria, causando a fome da população, e completou sua explanação dizendo que “à medida que as condições de vida das pessoas pioram, um pilar do regime se desmantela. Eles se tornam uma máquina de matar. Se as pessoas têm fome e não têm nada a perder, farão qualquer coisa. Nosso desejo é que esse colapso ocorra de modo pacífico e sem intervenção militar.”

Essa era e é a posição oficial do governo turco, vale dizer, o desejo que o povo sírio passe forme e, em razão disso, se rebele contra o Governo do País se tornando, cada cidadão de bem (como são os sírios em geral), uma máquina de matar. Pretendem que o pacato povo sírio, que sofreu com a colonização turca, composta de pessoas ignorantes que destruíram a civilização árabe, se transforme em máquina de matar.

Teve, ainda, aquele diplomata, a desfaçatez de dizer que o desejo de seu país era que o colapso da Síria se desse de modo pacífico, como se a fome e a miséria de um povo, como ele mesmo aguardava, pudesse ser pacífica.

Isso não aconteceu. Ficaram, ele e o país que representa, “esperando godot”. A economia síria, apesar de todos os boicotes internacionais, não entrou em colapso, como queriam os turcos, e seu povo não se transformou em máquina de matar. Por isso eles abriram suas fronteiras e ajudaram na “importação” de dezenas de milhares de terroristas dos mais diversos países do Oriente Médio e da Europa, estes sim, máquinas de matar em nome da mudança da estrutura política da Síria.

Assim mesmo, com muito dinheiro e fortemente armados os terroristas estão sendo aniquilados.

Esse mesmo embaixador em 17 de abril de 2012, na mesma Folha de São Paulo, procurou desmentir o genocídio do povo armênio perpetrado pelo seu país em 1.915 quando um milhão e meio de pessoas foram por eles chacinadas. Fez essa manifestação tentando responder a artigo do Dr. Simão Kerimian, representante do Conselho Nacional Armênio no Brasil (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/33467-o-primeiro-genocidio-do-seculo-20.shtml)  que tratou com brilhantismo daquele que foi chamado do Primeiro Genocídio do Século 20, lembrando que Hitler se escudou na impunidade turca para iniciar o genocídio dos judeus quando disso “Quem lembra dos armênios?”.

Recentemente mais uma vez um diplomata turco se envolve em questão interna de outro país, no caso o Egito, que o expulsou do Cairo, pois este estava insuflando a população contra o governo, tentando criar conflito, como fizeram na Síria.

O fato é que a Turquia apostou na desgraça e na fome do povo sírio para tentar derrubar um governo constitucionalmente eleito e perdeu a aposta. Tentou fazer o mesmo no Egito e foi escorraçada. Com todas essas intervenções chegará o dia em que terá que abrigar os terroristas que estão sendo expulsos da Síria, pois por lá entraram e os sobreviventes por lá sairão.

Fuad Achcar é advogado e colaborador do Oriente Mídia.

Share Button

2 thoughts on “Sem vergonha turca na boca de seu Embaixador

  1. Responder Assad Frangieh dez 7,2013 12:07

    A Turquia tem um passado secular de adotar políticas repugnante contra massas de população em todo o Oriente Médio desde o Líbano, Palestina, Síria, Grécia e Armênia. Ainda bem que não possui mais fronteiras. E ainda questionam porque a Europa os recusa e o Vaticano colocou veto neles nas palavras de Benedito XVI.

  2. Responder Ahmad Schabib Hany dez 10,2013 16:00

    Parabéns aos Companheiro(a)s do ORIENTE MÍDIA por fazer o contraponto necessário na cobertura dos fatos e dos bastidores da política mundial, sobretudo do Oriente Médio.
    Vamos divulgar e compartilhar o material do sítio para que mais pessoas possam ter acesso ao outro lado da notícia vomitada pelo nazi-sionismo e seus sequazes imperialistas neste planeta em que globalizaram a miséria e privatizaram as riquezas…

Deixar um comentário