Por que razão os EUA evacuaram chefes do Daesh de Deir ez-Zor?

Share Button

Enquanto Washington nega a evacuação de comandantes do Daesh de Deir ez-Zor, a probabilidade de isso ter ocorrido é quase de 100%, acredita o senador russo Frantz Klintsevich.

Fonte Sputnik

 

De acordo com ele, este gesto norte-americano é explicado pelo fato de que “os EUA sempre veem o propósito da sua existência na confrontação com a Rússia”.

Na quinta (07) a Sputnik recebeu a informação de que a Força Aérea dos EUA tinha evacuado mais de 20 chefes militares de Deir ez-Zor. A coalizão internacional negou a informação. Mas, de acordo com o vice-presidente do Comitê para a Defesa do Conselho da Federação (câmara alta do Parlamento russo) Frants Klintsevich, a evacuação teve realmente lugar.

“Não importa como se tenta refutar as informações sobre a evacuação de mais de 20 comandantes da região de Deir ez-Zor, toda a vasta experiência das ações norte-americanas, incluindo no Afeganistão, nos leva à convicção que isso ocorreu com a probabilidade de quase 100%. Tendo vivido essa guerra, posso dizer que sentimos a participação direta dos americanos do lado dos Mujahidin”, escreveu Klintsevitch na sua página no Facebook.

De acordo com ele, não seria possível evacuar centenas de jihadistas de Deir ez-Zor, mas aqui o número não importa. O que importa aqui é que “os EUA sempre veem o propósito da sua existência na confrontação com a Rússia”.

 Uma fonte diplomática e militar confirmou à Sputnik que, em 26 de agosto, um helicóptero militar norte-americano evacuou dois chefes militares do Daesh “de origem europeia” e os membros das suas famílias da localidade de al-Treif, situada a nordeste de Deir ez-Zor.

Em maio do ano em curso a aviação norte-americana já havia evacuado os chefes de guerra e mercenários estrangeiros de origem europeia que estavam combatendo na região de Deir ez-Zor. Em junho e julho, foram realizadas operações de evacuação de terroristas na província de Raqqa.

Em agosto, a Força Aérea dos Estados Unidos evacuou da área de Deir ez-Zor ao norte da Síria mais de 20 chefes militares e seus combatentes mais próximos do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países), comunica à Sputnik uma fonte diplomática militar.

“Durante as últimas semanas de agosto, depois das operações realizadas com êxito pelas tropas governamentais da Síria na parte oriental do país, vários chefes militares controlados pelos serviços de inteligência norte-americanos foram evacuados com urgência da área de Deir ez-Zor para zonas seguras, a fim de continuar usando sua experiência em outras direções. Nomeadamente, em 26 de agosto, de uma área perto do povoado de Treif, situado ao noroeste da cidade de Deir ez-Zor, durante a noite foram retirados de helicóptero dois chefes militares do Daesh ‘de origem europeia’ com seus familiares”, informa a fonte.

Segundo ele, em 28 de agosto, da área de Albu Leil ao sudeste de Deir ez-Zor foram retirados em helicópteros norte-americanos cerca de 20 chefes militares e seus combatentes mais próximos do grupo terrorista Daesh em direção ao norte da Síria.

“É preciso ressaltar que, ao perder seus líderes graças aos norte-americanos, os terroristas na maioria dos casos ficam desorganizados e abandonam suas posições, se juntando a outros grupos ou se salvando sozinhos. Tudo isso, no final de contas, contribui para um maior sucesso da operação de ofensiva das tropas governamentais sírias no leste do país”, assina a fonte.

Share Button

Deixar um comentário