Perseguição aos Cristãos da Síria 1

Share Button

Segundo fontes da mídia síria, foram encontrados, em 27/11/2013, 27 corpos de cidadãos sírios cristãos, assassinados pelos grupos terroristas armados, nas proximidades da igreja de Deir Atieh, onde foi hasteada uma bandeira da Jabhat Al Nosra, braço armado da Al Qaeda, no topo da igreja. Em esclarecimento, o Embaixador Dr. Ghassan Nseir, Chefe da Missão da Embaixada da República Árabe da Síria no Brasil, publica o seguinte texto sobre a perseguição aos cristãos na Síria pelos grupos terroristas armados.

Aumento da escalada terrorista takfirista que tem como alvo a unidade nacional da Síria.

A Síria, berço das mensagens divinas e pátria dos profetas e santos, enfrenta uma guerra bárbara promovida por quadrilhas takfiristas extremistas, que querem atingir seu presente, seu futuro e seu legado civilizatório e histórico, buscando desacredita-la e desacreditar tudo o que ela representa, por ser um eixo de paz e convívio comum entre os seus filhos, através das fatwas (julgamentos) extremistas que fogem aos princípios de tolerância do Islã e que são feitos por sheikhs patrocinados por países bem conhecidos, como o Catar e a Arábia Saudita, a fim de promover motins.

As várias organizações terroristas, ligadas organizacionalmente ou ideologicamente à Al Qaeda, ou que compartilham de suas crenças extremistas, estão atacando o estado e o povo sírio, através de ações terroristas suicidas e tiroteios aleatórios contra os bairros civis, utilizando-se diariamente de morteiros capazes de matar vários civis ao mesmo tempo.

Observou-se, nos últimos meses, o envolvimento sistemático dos grupos terroristas no plano que tem como alvo os cristãos da Síria, através de ataques a bairros onde há uma predominância de moradores sírios cristãos em Damasco e, especialmente, em Aleppo, com a utilização de morteiros massivamente lançados, num ritmo diário, atingindo casas, propriedades, escolas, igrejas e templos destes cidadãos.

Os ataques aos bairros civis nas grandes cidades coincidem com os ataques ostensivos à algumas cidades e vilarejos, no subúrbio de Damasco e no subúrbio de Homs, onde vive uma maioria cristã. Estes ataques incluem ofensas morais e físicas, roubos e destruições de casas, como ocorreu recentemente em Maalula, Sadad e Deir Atieh.

Este plano mencionado, visa disseminar o terror entre os cristãos para força-los a deixar o país e a imigrar, num contexto mais amplo que tem por objetivo livrar o Oriente Médio dos cristãos. Curiosamente, o fato que levanta suspeitas sobre este cenário é a hipocrisia de alguns países que se aliaram para derramar o sangue dos sírios, principalmente os países ocidentais que alegam estarem preocupados com o povo sírio e seus interesses e ao mesmo tempo fornecem suporte financeiro, militar e logístico à estes grupos terroristas para que continuem praticando seus crimes, que afetam os mais diferentes componentes do povo sírio e, por outro lado, facilitam a imigração destes cidadãos sírios para estabelecê-los no exterior, como parte de um plano que começou no Iraque.
O combate ao terrorismo, que tem como objetivo os cidadãos sírios, é crucial para o êxito de uma solução pacífica para a crise na Síria e para dar credibilidade, do ponto de vista sírio, ao processo político. O fim da violência e do terrorismo exige que os países envolvidos no apoio aos grupos terroristas armados parem de fornecer qualquer tipo de suporte militar, financeiro, logístico, abrigo e treinamento à estes grupos, principalmente a Arábia Saudita, o Catar e a Turquia, além de outros países encabeçados pela França e Estados Unidos da América.

O Estado sírio zela pelo seu dever constitucional de proteger seus cidadãos, muçulmanos e cristãos, dos crimes dos grupos terroristas.
O diálogo nacional entre sírios, sob uma liderança síria e sem interferências externas garantirá ao povo sírio, único dono do direito constitucional de decidir o futuro de seu país e de escolher sua liderança, o direito de expressas suas escolhas através das urnas. Baseado neste princípio, o Governo da Síria reiterou sua disposição de participar da Conferência de Genebra a fim de alcançar o êxito em seus trabalhos, de forma a garantir o respeito às escolhas do povo sírio.

É necessário combater os planos que objetivam livrar o Oriente Médio dos cristãos, historicamente enraizados na região, e alertar para os perigos reais que estes planos terão sobre a unidade nacional em vários países da região e suas civilizações ao longo da história.

O combate às crenças extremistas e a pressão sobre os países que apoiam os grupos terroristas armados, que tem como alvo os valores patrióticos e o convívio comum, é o único meio de preservar a diversidade que sempre foi a fonte de força que privilegiou a Síria e sua civilização ao longo da história.

Tradução oficial por Jihan Arar.

Share Button

Um comentário sobre “Perseguição aos Cristãos da Síria

  1. Responder GEORGE KHAIRALAH HADDAD dez 1,2013 9:13

    Os cristãos do Oriente Médio jamais serão exterminados, porque as forças internacionais não deixarão. Eu sou favorável que os adeptos do islamismo residem em países não islâmicos.Em relação ao Brasil ainda bem que vieram morar neste país e terem ido morarem no Nordeste.

Deixar um comentário