Para a próxima guerra contra a Síria, 500 milhões de dólares

Share Button

O Süddeustche Zeitung pôs à luz do dia uma transferência de armas do Quartel-general da Força Aérea norte-americana na Europa, situado em Ramstein (Alemanha), em direção aos «rebeldes» sírios.

As armas, principalmente kalashnikovs e morteiros com as suas munições, foram transferidas do arsenal da Marinha em Crane (Indiana) para o arsenal da Infantaria dos EUA em Miesau (Alemanha).

Este tráfico é a continuação da Operação Timber Sycamore («madeira de sicómoro») desenvolvida pelo General David Petraeus quando dirigia a CIA. Ele começou em 2013, ou seja, muito antes da criação do Daesh (E.I.). O papel da base de Ramstein foi revelado, em Dezembro de 2015, pelo jornal sérvio Večernje Novosti .

Na véspera das eleições federais alemãs, o Süddeutsche Zeitung interessa-se particularmente pelo aspecto jurídico da sua descoberta.

O Comando US de Operações Especiais pediu às quatro empresas sub-contratadas para não declarar a natureza das cargas transportadas, sabendo que o governo alemão poderia se opor a esse tráfico no seu território. O Procurador-geral alemão abriu um inquérito preliminar para determinar se o Pentágono e o governo Merkel respeitaram a Lei alemã.

Além disso, a legislação alemã interdita a transferência de armas para países em guerra. Ora, o governo Merkel já havia autorizado a transferência de armas para a Arábia Saudita no quadro do tráfico montado pelo Azerbaijão, e da sua linha aérea Silk Way. Assim, não podia ignorar que os jihadistas na Síria eram os destinatários finais.

A base de Ramstein já fora posta em causa no caso dos sequestros e das prisões secretas da CIA, assim como no dos assassinatos dirigidos por drone no Médio-Oriente “Alargado”. Nem os magistrados, nem os parlamentares foram autorizados a aceder a esta base em virtude do acordo de extra-territorialidade de que beneficiam todas as forças norte-americanas na Alemanha.

Mas, o mais interessante é uma descoberta acidental do jornal alemão, de cuja importância não se apercebeu : segundo documentos do exército dos EU, o Pentágono lançou um concurso público para a aquisição de US $ 500 milhões de dólares de armamento de tipo ex-soviético. Este contrato foi adjudicado em Agosto de 2017. O destino de certos carregamentos de armas foi então modificado para ser a Croácia.

Após a «Primavera Árabe», a Al-Nusra e o Daesh, o Pentágono planeja uma nova guerra contra a Síria, apoiando-se desta vez em tropas curdas às quais estes US $ 500 milhões de dólares de armamento se destinam. Este novo conflito deverá eclodir nas próximas semanas, após o anúncio da independência do Curdistão iraquiano.

 

Share Button

Deixar um comentário