Opinião: Rússia é muito forte para deixar Síria virar “Afeganistão” 3

Share Button
16/10/2015

A Síria não será para a Rússia um “segundo Afeganistão”, por mais que o presidente dos EUA, Barack Obama deseje isso. A opinião é do ex-vice-ministro da Defesa dos Estados Unidos, Dov Zakheim, em um artigo para a revista “The National Interest”.

“A Rússia fundamentalmente melhorou as relações com o Irã, Iraque, Egito e Israel, o que lhe permite cobrir todas as áreas da política do Oriente Médio. Tudo isso aponta para o fato de que Moscou possui posições fortes na região como nunca”, escreve Zakheim.

“Enquanto todo mundo reconhece que Putin busca preservar a presença da Rússia na Síria, poucos percebem que a Rússia está em uma posição muito mais forte no Oriente Médio, mais do que jamais houve, até mesmo durante a União Soviética”, continua o autor.

O ex-vice-ministro observa que “a Rússia e o Irã são hoje os principais bastiões de Bashar Assad; a Rússia promove boas relações com o Iraque, que vem se tornando mais forte; a Rússia reforçou suas relações com o Egito”. Além disso, o autor destaca que a Rússia possui ótimas relações com a maior potência no Oriente Médio – Israel.Todas estas circunstâncias, diz Zakheim, explicam por que Putin está em uma posição mais forte em relação à operação da Rússia na Síria do que outros poderiam estar em tal situação.

“De fato, Putin abraça todas as bandeiras no Oriente Médio, fora a da Jordânia e países do Golfo, mas parece que ninguém poderia ter algum impacto negativo sobre a sua intervenção no conflito sírio ao lado do governo de Assad”, conclui.

 

 

Share Button

3 thoughts on “Opinião: Rússia é muito forte para deixar Síria virar “Afeganistão”

  1. Responder Almir Albuquerque (Panorâmica Social) out 17,2015 16:26

    Uma questão hipotética para a gente exercitar hipóteses:
    Digamos que estoure uma guerra direta da Otan contra a Rússia e Assad na Síria.
    Os Estados Unidos pedem que o Brasil apoiem o lado americano na guerra. Putin evoca o BRICS para solicitar que o Brasil apoie o lado russo da guerra que pode pela primeira vez alterar a balança de poder no cenário mundial.
    De que lado o Brasil deveria ficar?

  2. Responder L3G10N4R10 out 18,2015 14:37

    Boa tarde a todos… Numa situação dessas, é quase certa, a histórica posição brasileira de ¨Não Envolvimento¨… Mas tal simulação exige um posicionamento do País, nesse caso, acredito que a pressão Interna (Oposição;Imprensa PIG, os Grandes Oligopólios), tenderá ao apoio pelo EUA…
    A mim pessoal e particularmente, o Brasil deveria entrar em apoio á Rússia, que é na atualidade, a única opção de tentativa de mudança no já desgastado Status Quo, que vêm regendo as Inter-relações Políticas/Econômicas/Sociais…

  3. Responder ANTONIO out 18,2015 19:07

    NEUTRO COMO NA SEGUNDA GUERRA POR UM BOM, TEMPO. VENDENDO SUCO DE LARANJA PARA OS DOIS LADOS.

Deixar um comentário