O telefonema da Casa Branca ao Palácio do Povo 2

Share Button

Por Assad Frangieh.

Panorama de Outubro no Oriente Médio.

Após um curto período de otimismo internacional numa saída política imediata para a crise na Síria, os acontecimentos em campo estão desenhando um novo panorama no qual as cartas usadas nas negociações estão se embaralhando. Apesar dos Estados Unidos conduzirem os acontecimentos no Oriente Médio a serviço de seus interesses políticos e econômicos, atualmente com menos eficiência e resultados em razão de novos recursos de resistência da muralha de Damasco, Teerã e Moscou, nem sempre é possível domar as mentes, desprezar o instinto dos escorpiões ou acreditar de fato que as serpentes podem ser hipnotizadas pelo canto das flautas.

A consolidação do Governo da Síria como representante legítimo do povo sírio nas resoluções da ONU e a perda de liderança na unificação dos contras na Síria, explodiram numa nova onda de violência entre três facções: O “Exército Sírio Livre” formado por bandos de desertores e agrupamentos armados coordenados principalmente pela Turquia e Qatar, o novo “Exército do Islã” que agrupará os movimentos armados compostos principalmente por mercenários estrangeiros e organizações islâmicas tuteladas pela Arábia Saudita via Jordânia e a organização “Estado Islâmico do Iraque e do Levante” que abraçou a ideologia da Al-qaeda, organizou suas bases em territórios iraquianos e sírios, e possuiu uma autonomia ideológica fundamentalista que prega pelo Califato do Islã Sunita. Neste conceito de Califato, não há fronteiras reconhecidas dos Países que se estendem desde o Marrocos até a Península Arábica e as águas do Golfo Pérsico.

Hillary Clinton admitiu que Al-qaeda foi uma organização financiada pela C.I.A. (Central Intelligence Agency) e a Arábia Saudita, no intuito de combater a presença da União Soviética no Afeganistão e de certa forma, muitas coisas saíram do controle. A reorganização das forças que se envolveram na luta contra a Síria é o reflexo que muitas coisas saíram do controle dos Estados Unidos, seus aliados europeus e a OTAN. As palavras do Presidente Assad são proféticas quando disse que o Terrorismo não se limitará às fronteiras de seu pais e que tal ameaça se repercutirá nos países que apoiaram tais grupos e no Ocidente também.

O Iraque sofre uma onde de violência sectária sem precedentes, a Turquia admite que sua extensa fronteira está incontrolável ao fluxo da Al-qaeda e dos curdos. A oposição vem denunciando de forma incisiva as inconsequentes políticas de Erdogan no trato do assunto curdo (18% da população na Turquia), de ignorar as revindicações dos quase 20 milhões de alauítas de uma população beirando os 80 milhões turcos e de sua defesa do islã político muito mais otomano do que árabe. A Jordânia admite que o retorno de muitos Jihadistas da Síria vem sido acompanhado por experiência de luta, armas, munições e uma doutrina contra as instituições da Monarquia Hashimita.

As negociações de Genebra 2 não devem acontecer tão logo em razão de inexistência do controle dos Estados Unidos sobre todos os acontecimentos na Síria, por não poder dissuadir os Sauditas e principalmente porque as forças submissas à ideologia da Al-qaeda se transformarem em escorpiões que estão picando no Sudão, na Líbia, no Yemen e em breve na Turquia, na Jordânia, no Golfo e às portas da Europa.

Nos bastidores da Assembleia das Nações Unidas, os observadores disseram que o telefone do Ministro de Exterior da Síria não parou de receber chamadas de autoridades que querem reatar com a Síria logo que possível, principalmente nos campos da inteligência e da diplomacia internacional. Não seria distante ou surpreendente a qualquer hora, o Presidente Obama pegar o telefone e ligar dizendo: “Presidente Bashar, obrigado por lutar contra o Terrorismo e sucesso em 2014!”.

Para quem duvida disso, perguntem ao Presidente do Irã, Hassan Rouhani.

Curiosidade sobre as serpentes:

Se encontrar uma cobra por aí é melhor não confiar que você poderá hipnotizá-la com música. Isso porque, as serpentes são praticamente surdas, pois são desprovidas de ouvido externo e por isso tem a capacidade auditiva quase inexistente. Isso quer dizer que elas não ouvem a música da flauta (e qualquer outra) e nem mesmo podem ter senso de melodia ou ritmo. Mas e os encantadores de serpentes que existem principalmente nas ruas das cidades indianas? Bem, uma coisa é certa: a cobra não ergue a cabeça por estar ouvindo uma música hipnotizadora. O que acontece é uma reação natural da cobra que fica fechada dentro do cesto no escuro e quando vê o recipiente aberto, tem o impulso de sair. Isso realmente causa a impressão que ela está indo atrás da música. Como não possuem pálpebras, elas obviamente não podem piscar e isso faz com que pareça que estão hipnotizadas, mas não é verdade! Quando o “encantador” balança a flauta de um lado para o outro, a cobra instintivamente procura seguir a flauta. Mas se qualquer outro instrumento ou somente a mão se movimentasse perto da serpente, iria prender sua atenção do mesmo jeito. Segundo especialistas, alguns encantadores ainda usam urina de rato na ponta da flauta. Cheiro é atrativo para as serpentes, e ajuda a manter sua atenção fixa no instrumento. É claro! Os ratos são seu prato preferido. (Fonte: Teckler.com)

Share Button

2 thoughts on “O telefonema da Casa Branca ao Palácio do Povo

  1. Responder Nathaniel Braia out 6,2013 20:19

    Bastantes elucidativos dados sobre detalhes do conflito armado para dar o bote sobre Assad, no qual, como vimos acompanhando quem foi tirar lã saiu tosquiado.
    Quanto ao Obama ligar, por enquanto acho difícil. Ele se enrolou mas tem compromisso com o projeto de destruição dos governos progressistas e independentes e também é frouxo para enfrentar a direita interna à qual achou mais interessante se submeter. Aliás, desde que assumiu, mostrou que ideologicamente já estava nesta condição. Mas não custa nada a pitada de otimismo do Assad para alegrar o domingo e dar mais disposição de luta logo no início da semana.
    Braia

  2. Responder Celso de Menezes out 7,2013 10:19

    Certamente que esse …. não se curvará diante de ninguém devido a sua prepotência e arrogância.

Deixar um comentário