Netanyahu anuncia sanções contra a ONU e retaliações a países que apoiaram a resolução do Conselho de Segurança 1

Share Button

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin “Bibi” Netanyahu, declarou neste sábado (24) que Israel vai reavaliar seus laços com as Nações Unidas e ordenou interromper de forma imediata o financiamento a cinco organismos da ONU por considera-los “hostiles ao seu país”.

Segundo Netanyahu, a votação no Conselho de Segurança da ONU foi “vergonhosa”. Parceiros históricos de Israel, os Estados Unidos surpreenderam ao não utilizar o uso do veto na votação do projeto, que passou com 14 votos a favor e uma abstenção. Israel convocou seus embaixadores em Senegal e Nova Zelândia para consultas.

Fonte Sputnik News e agências

file_20161224162605
“O primeiro-ministro, em caráter de urgência, convoca os embaixadores em Senegal e Nova Zelândia para consultas”, informou o anúncio da chancelaria. “Medidas foram tomadas em relação aos países que deram início à resolução e que possuem relações diplomáticas com Israel”, explica o documento. “Eu instruí o Ministério das Relações Exteriores a completar em um mês a reavaliação de todos os nossos contatos com as Nações Unidos, incluindo as instituições da ONU fundadas por Israel e a presença de representantes da ONU em Israel”, disse Netanyahu.

Além disso, o chefe de governo determinou ao ministério das Relações Exteriores a suspensão de todos os programas de ajuda ao Senegal.

O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta sexta-feira uma resolução histórica que exige a suspensão da construção de assentamentos por Israel em territórios palestinos ocupados, inclusive em Jerusalem oriental. Apesar de reiteradas solicitações de Israel, os EUA não vetaram o projeto, possibilitando assim a sua aprovação.

Os co-autores do projeto foram: Nova Zelândia, Malásia, Venezuela e Senegal.

Depois de se abster na votação do Conselho de Segurança que mandou Israel acabar com os assentamentos na Palestina, os Estados Unidos se justificaram dizendo que a continuação de um assentamento “ameaça seriamente a segurança de Israel”. Para a embaixatriz americana na ONU, Samantha Power, os EUA “têm enviado uma mensagem de que os assentamentos precisam parar, em particular e em público, por quase cinco décadas”. “Não se pode simultaneamente apoiar a expansão dos assentamentos de Israel e uma solução viável de dois Estados que encerraria o conflito. É preciso fazer uma escolha entre os assentamentos e a separação”, disse Power.

file_20161223170008
A delegação de Israel se declarou “desapontada” com o posicionamento de Washington na votação. O país declarou esperar que o governo de Donald Trump represente uma “nova era” na relação com os Estados Unidos.

O presidente eleitos dos EUA, Donald Trump, declarou que adoção da resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a proibição da construção de assentamentos israelenses em territórios palestinos dificultará o processo de paz no Oriente Médio.

“A grande derrota de Israel na ONU ontem fará com que seja muito mais difícil negociar a paz”, publicou Trump em sua conta no Twitter.

Anteriormente, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, declarou que teve promessas de congressistas e membros da futura administração presidencial de Donald Trump de que os EUA iam usar todos os meios para reverter resolução contra os assentamentos israelenses.


Share Button

Um comentário sobre “Netanyahu anuncia sanções contra a ONU e retaliações a países que apoiaram a resolução do Conselho de Segurança

  1. Responder Jose Monteiro dez 25, 2016 19:49

    Este palhaco faz parte dos ladrões e assacinos que ate agora têm sido amparados pelos States

Deixar um comentário