Na Líbia, Trump aposta na Itália contra a França

Share Button


Recebendo o Primeiro-ministro italiano, Guiseppe Conte, em 21 de Julho de 2018, o Presidente Donald Trump confirmou publicamente que reconhecia a preeminência da Itália na Líbia.

Ao fazê-lo, a Casa Branca minava os esforços do Eliseu de se apropriar do petróleo líbio.

Durante a guerra da Administração Obama contra a Líbia, o então Primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, foi a única figura ocidental a tentar defender Muammar Kaddafi. Ele acabou sendo chamado à ordem pelo seu Parlamento e pelo Presidente francês da época, Nicolas Sarkozy.

Antiga potência colonial, a Itália massacrara a população de Trípoli em 1911 e enforcou o líder da Resistência, Omar al-Mokhtar. Berlusconi havia negociado uma reparação por esses crimes com o Guia.

Hoje em dia, Berlusconi é membro da coalizão (coligação-pt) formada com a ajuda do antigo conselheiro especial de Donald Trump, Steve Bannon, que levou ao Poder Guiseppe Conte.

Tradução
Alva

Share Button

Deixar um comentário