Ministro israelense: “Chegou o momento de eliminar Assad“ 2

Share Button

O presidente sírio deveria ser assassinado – essa é a opinião de um ministro israelense. Segundo o político, Assad seria mais perigoso do que o ISIS e outras organizações terroristas.

Fonte: AlMasdar e fontesWhatsApp-Image-2017-05-16-at-13.28.29

O general do exército de Israel, Yoav Galant.

O ministro de Habitação israelense, Yoav Galant, disse nesta terça-feira que está na “hora de eliminar” o presidente da Síria, Bashar al Assad, e que o regime sírio está cometendo o pior genocídio desde o nazismo. O general reformado, declarou durante uma conferência de segurança nas proximidades de Jerusalém: “Na minha opinião, chegou o momento de eliminar Assad”.

O ministro culpa o presidente sírio de ter cometido crimes jamais vistos desde o “holocausto judeu”: “Na Síria, pessoas são executadas, são alvos de ataques com armas químicas, e agora seus corpos são também incinerados – algo que não vivenciamos há mais de 70 anos”, declarou Galant.

Assad teria ultrapassado a linha vermelha e seu comportamento na Síria não é nada mais do que um “genocídio” com “centenas de milhares de mortos”, afirmou Yoav Galant, que também é membro do Conselho de Segurança Nacional e tenente-general do Exército na reserva, informou o jornal “Jerusalem Post”.

Galant baseou suas afirmações em um relatório do governo norte-americano, que acusara, nesta segunda-feira, o governo sírio de executar em massa prisioneiros militares e queimar seus corpos em crematórios (EUA posteriormente declarou que podem não existir os crematórios em Saydnaya). A Anistia Internacional afirmou no seu relatório de fevereiro 2017 que entre 2013 e o presente teriam sido executados entre 5000 e 13.000 prisioneiros nessa prisão, porém sem apresentar qualquer prova concreta.

Nem o Departamento de Estado nem organizações de direitos humanos têm fornecido qualquer evidência substancial destas denúncias até agora.

A morte de Assad, segundo o ministro israelense, teria um significado geopolítico: “Se resolvermos o rabo da cobra, podemos também alcançar sua cabeça, que está em Teerã”.

O regime israelense há muito se opõe ao governo sírio, inclusive prestando apoio direto a grupos jihadistas na Síria, lançando ataques aéreos desde os Altos do Golan, sobre Damasco e Homs. O ISIS já pediu desculpas por atacar soldados israelenses no Golã.

A uma pergunta do Times of Israel, Galant afirmou estar ciente que assassinatos políticos são ilegais – ele disse que “não falou em termos práticos” – mas “alguém que assassina pessoas e queima seus corpos, não tem lugar neste mundo”, acrescentou o ministro.

Share Button

2 thoughts on “Ministro israelense: “Chegou o momento de eliminar Assad“

  1. Responder thiago santini maio 21,2017 20:11

    Esse general israelense deve de merda na cabeça, ou se faz de doido pra melhor passar. Está fora de esquadro qualquer tentativa de assassinato do Presidente Sírio Bashar al-Assad, até porque a Rússia não vai deixar isso acontecer. Está esquecendo o general Yoav Galant, que o regime de israel, está massacrando Palestinos indefeso, e matando de fome os moradores da faixa de Gaza. A maioria do povo de israel não compactua com os absurdos que o regime de Israel está fazendo com os Palestino, inclusive mantendo em prisões crianças mulheres e protestante que reivindica seus legítimos direitos.

Deixar um comentário