Kissinger ao vivo – Depois da posse de Trump (de New York para Davos)

Share Button

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé

Kissinger ao vivo
20/1/2017, 17h30, Pepe Escobar, pelo Facebook

Traduzido por Vila Vudu

A parte crucialmente importante da fala de Kissiger há algumas horas, tem a ver com que “conselho” ele daria a Trump. Na verdade, é o núcleo da estratégia que o próprio Kissinger traçou para Trump – como já comentei em “Teatro de Sombras: novo grande jogo na Eurásia” (tb traduzido) e em “Trump, Kissinger and Ma“, minhas colunas em Asia Times:
“Uma das principais realizações ou atos de impactos do presidente Obama foi retirar a América de algumas posições nas quais estava superdistendida, mas também criar o sentimento de que a América se retirava do mundo, inclusive em locais nos quais a superdistenção não se aplicaria e nos quais a contribuição dos EUA continua a ser essencial.”

“Assim, o presidente Trump terá de encontrar uma definição para o papel dos EUA que responda às preocupações de muitas partes do mundo nas quais a América desistiu do seu papel de indispensável liderança em muitos países – e grande contribuição em outros –, e definir o que e onde a América pode liderar e onde tem de contribuir para criar uma ordem internacional.”
Implica criar uma NOVA ordem internacional.

Outros pontos importantes:
Sobre a “parceria atlântica” – “tem de ser reconstruída, mas com a atitude segundo a qual o elemento chave são ambas as políticas, dos EUA e europeia.”
É nessa direção que se deve interpretar o mantra de Trump “a OTAN é obsoleta”.

Sobre a Rússia:
“A Rússia garantiu o equilíbrio no mundo.”
Ninguém jamais ouviu tal coisa da banda neoconservadora/neoliberalconservadora. Kissinger conta com “diálogo sério” entre EUA e Rússia, sob governo Trump. Esse, de fato, é o coração de sua estratégia.

Sobre o discurso de Xi em Davos, no início da semana:
“Importante afirmativa feita pela China de que participará na construção de uma ordem mundial”; “a ordem mundial com a qual estamos familiarizados está em desintegração em alguns aspectos”; “o presidente Xi introduziu um conceito de ordem internacional que tem de ser discutido.”
Quer dizer: Kissinger não se posiciona em confronto declarado diante da China; e lá estará para aconselhar/moderar os rompantes de Trump. NÃO HAVERÁ guerra comercial.

Pepe Escobar (1954) é jornalista, brasileiro, vive em São Paulo, Hong Kong e Paris, mas publica exclusivamente em inglês. Mantém coluna no Asia Times Online; é também analista de política de blogs e sites como:  Sputinik, Tom Dispatch, Information Clearing House, Red Voltaire e outros; é correspondente/ articulista das redes Russia Today e Al-Jazeera.
Share Button

Deixar um comentário