Israel condena um sírio a 14 anos de prisão por fotografar membros da IDF ao lado de terroristas de al-Qaeda

Share Button

Sidqi al-Maqt, um nativo das Colinas de Golã, territórios ocupados por Israel, foi condenado a 14 anos de prisão sob a acusação de “espionagem a favor da Síria“, segundo informou o The Times of Israel.

Fonte: AlMasdar
C__yB7uVwAA2TLV-696x487

Anteriormente, ele já tinha passado 27 anos na prisão -entre 1985 e 2012- sob a acusação de “terrorismo” por participar de um grupo armado que tentou libertar os Altos do Golan de Israel. Após a sua libertação da prisão, em 2012, ele se manifestou a favor do Estado sírio, do governo sírio e do presidente sírio, Bashar al-Assad em vários eventos públicos.

Sidqi al-Maqt fez várias fotografias de um checkpoint israelense, onde as forças de Defesa de Israel (IDF por sua sigla em Inglês) colaboravam com o grupo terrorista al-Qaeda em um checkpoint na fronteira de Israel e da Síria.

Ele foi preso por Israel nas Colinas de Golã por “colaborar com um agente externo” (Estado sírio). Israel diz que essas e outras fotografias (não publicadas) foram partilhados com os serviços de inteligência sírios e publicadas asn redes sociais. As fotografias publicadas em redes sociais são os seguintes:

C__yB75UQAA5f6k

C__yB72U0AA0roC

Share Button

Deixar um comentário