Ideias rápidas sobre Idlib e uns outros negócios

Share Button

Ver a imagem de origem

9/9/2018, Reminiscence of the Future, Andrei Martyanov (Blog)

Como escrevi em Russia As A Cat, a Rússia continuará na boa vida, em seu próprio ritmo, ignorando monólogos zangados do “mundo democrático” e continuará o rápido extermínio de unicórnios e terroristas humanitários em Idlib. O processo continuava hoje com novos ataques aéreos contra os tais “rebeldes”. É sintomático, então, que o Embaixador da Rússia na Síria tenha feito a seguinte declaração à Agência TASS.

Ofereço adiante a declaração na íntegra e lembro que os altos escalões militares e figuras diplomáticas russas NÃO FAZEM declarações aos gritos. Declarações desse tipo são sempre sancionados de cima para baixo:

DAMASCO, 7 de setembro/TASS/. A Rússia está ajudando a Síria a restaurar e modernizar seu sistema de defesa aérea, o embaixador da Rússia àquele país Alexander Kinshchak disse à TASS na 6ª-feira.

“Estamos ajudando nossos parceiros sírios a restaurar, modernizar e aumentar a eficiência do sistema integrado de defesa aérea,” disse ele quando lhe perguntaram se a Síria estaria bem protegida contra possíveis ataques aéreos vindos das nações ocidentais. “Ainda falta fazer muito, porque tudo está totalmente devastado, mas já se veem alguns resultados” – disse o embaixador.

No final de abril, o chefe do principal diretorado das Forças Aéreas da Rússia, Sergei Rudskoi, disse que a Síria logo receberia novos sistemas de defesa aérea e prometeu que especialistas russos ajudariam os militares sírios a operar os novos sistemas. Não deu novos detalhes dos sistemas, dizendo só que os sistemas S-125, Osaand Kvadrat, usados pelo exército sírio foram restaurados e modernizados com ajuda dos russos.

No final de agosto, o Ministério da Defesa da Rússia alertou contra uma possível provocação montada no governorado sírio em Idlib por militantes sob supervisão dos serviços especiais britânicos. Assim, segundo o ministério, militantes estariam planejando um simulacro de uso de armas químicas contra civis por soldados do governo sírio, com o que dariam munição aos EUA, ao Reino Unido e à França para um ataque aéreo contra instalações do governo sírio e de organismos econômicos.

Significa que está ficando cada vez mais claro que a Rússia está em movimento. De fato, as coisas estão aparecendo muito rapidamente à luz do dia.

Sobre a situação em Donetsk depois do assassinato de Alexandr Zakharchenko, como Andrei Babitsky observou de Donetsk – todos os hotéis mais ou menos decentes em Donetsk estão lotados, ocupados por gente do Serviço Federal de Segurança da Federação Russa, em russo FSB [o serviço que sucedeu a KGB soviética]. Isso, para não falar de outros interessantes desenvolvimentos que ainda têm de ser verificados, mas parece que, sim, Moscou está em rápido movimento e abertamente. É o que explica essa matéria sobre os sistemas Uragan da Rússia, como disse o Ministério da Defesa, sendo dispostos “por prevenção”, perto da fronteira russa e das Repúblicas Populares de Lugansk e Donetsk. A mensagem é clara (vídeo, em russo).

Absolutamente não haverá “vitória” com “socorro às vítimas” [orig. There will be no VSU “victory” (?)], sob nenhuma circunstância, e parece que a Rússia está abertamente (antes, ainda havia uma folha de parreira) assumindo o encargo de defender as novas repúblicas, com tudo que isso signifique (ponham a imaginação a funcionar).

Mas o mais engraçado, num bom sentido, é que, enquanto os EUA impõem sanções à Rússia, os mesmos EUA continuam a comprar produtos russos de alta tecnologia, como motores para foguetes e, agora, também aviões. Como a TASS noticiou (em russo), na exposição de Gelendzhik de hidroaviões, as empresas Seaplane Global Air Services, dos EUA, e a Beriev Corp., russa, assinaram contrato para entrega de quatro desses excelentes jatos russos para combate a incêndios, com opção de compra para mais seis. É fato sabido que os EUA, especialmente os estados do sul, sofrem com graves incêndios florestais e os BE-200s são aviões perfeitos para combater esse tipo de fogo. Os aviões já provaram seu valor em Portugal, Grécia, Espanha, Rússia, só para citar uns poucos países onde são usados. [Vídeo: Duas aeronaves Be-200 recolhem água no Rio Ob, durante operação de combate ao fogo nas florestas da região de Tomsk (filmado com fone Samsung Galaxy S3).

Traduzido por Vila Vudu

Share Button

Deixar um comentário