Exclusivo : A Arábia Saudita constrói uma embaixada em Israel

Share Button

O Reino da Arábia Saudita começou a construção de uma gigantesca embaixada em Israel, provavelmente a maior em Telavive.

Oficialmente, os dois Estados não mantêm relações diplomáticas em virtude da expulsão por Israel da maioria da sua população palestina, em 1948 (a Nakba).

No entanto o Pacto de Quincy, assinado entre o Presidente Roosevelt e o rei Abdelaziz, em 1945, e renovado pelo Presidente Bush e o Rei Fahd em 2005, prevê, nomeadamente, que o Reino não se oporá ao lar judeu da Palestina (futuro Estado de Israel).

O Rei Abdallah financiou, em vez dos Estados Unidos, a operação israelita «Chumbo endurecido» contra a faixa de Gaza, em 2008-09 [1]. Esta aproximação pôs fim à «doutrina da periferia» segundo à qual Telaviv buscava unificar os atores não-árabes da região (Irã, Turquia, Etiópia) contra os países árabes.

O Presidente Shimon Peres pronunciou-se por vídeo perante o Conselho de Segurança do Golfo, em Novembro de 2013. Os membros do Conselho puderam colocar-lhe perguntas, não diretamente, mas através de Terje Rød-Larsen [2].

Atualmente, os dois países conduzem, em conjunto, uma guerra no Iémen, a partir de um quartel-general comum, instalado no Estado não-reconhecido da Somalilândia [3]. A Força Árabe de Defesa comum reproduz o conceito do Pacto de Bagdad, que era identicamente comandado militarmente por um Estado que não era membro dele (os Estados Unidos na ocorrência).

Eles projetam, em conjunto, várias operações de exploração petrolífera no Iémen e no Corno de África [4].

O Rei Salman designou o Príncipe Walid Ben Talal (5º fortuna mundial com Citigroup, o Movenpick, Four Seasons) como o próximo embaixador do Reino em Telavive.

Tradução  Alva

Share Button

Deixar um comentário