Consenso entre Ocidentais sobre a ausência de consenso na Líbia

Share Button


Rejeitando por princípio toda a ajuda estrangeira, a assembleia das tribos líbias decidiu libertar-se, ela própria, do domínio dos jihadistas que partilham o seu território. Assim, combates começaram em Trípoli.

Os Estados Unidos, que haviam confiado à França o cuidado de restaurar a ordem colonial na Líbia, retiraram-lhe esta responsabilidade em Agosto. Eles escolheram, pelo contrário, apostar na Itália agora governada por nacionalistas.

A França, que tinha organizado vários encontros em Paris de diferentes chefes rivais, não deixou de prosseguir os seus esforços.

Os Estados Unidos e a Itália, a França e o Reino Unido, assinaram um comunicado conjunto, a 1 de Setembro, apelando ao cumprimento das decisões tomadas pelo Presidente do Conselho de Segurança em 6 de Junho de 2018. No entanto, embora esta declaração presidencial faça referência aos esforços da França, a sua única assumida decisão é de apoiar o princípio de novas eleições. Nem o Conselho de Segurança, nem as quatro potências ocidentais foram além desse consenso mínimo.

Tradução
Alva

Share Button

Deixar um comentário