Comandante Qassem Soulaimani, um monge militar que consternou milhões com o seu assassinato

Share Button

Resultado de imagem para Comoção no enterro de Qassem Soleimani"

Por Claude Fahd Hajjar

À Nação Iraniana e ao Eixo da Resistência

O dia 3 de janeiro de 2010 marcou o martírio do General Qassem Soulaimani, um monge militar, que se dedicava a defender as causas justas com sabedoria, ética, dignidade, humildade e muita sagácia.

Um cérebro militar e estratégico que era admirado por seus aliados e amigos e inclusive temido e reconhecido por seus inimigos.

Possuía uma inteligência estratégica e um calculo matemático decorrente da sua formação como engenheiro e usava esta reengenharia nas suas relações humanas sempre aproximando o máximo possível os opostos.

O General Qassem Soulaimani, tinha como objetivo certo e absoluto: a libertação de AL Quds ( Jerusalém), e a sua meta era clara e trabalhava para atingir o seu objetivo.

A cada novo desafio que se apresentava ele encontrava soluções, como na guerra de 2006 no Líbano, e nas lutas de libertação no Iraque, na Síria, e no seu insistente e vitorioso combate ao terrorismo nas suas diversas formas.

Contribuiu eficazmente na libertação do Líbano quando do ataque takfiri sobre Erzal e outros pontos e na Síria não descansou enquanto não viu que o terrorismo estava sendo derrotado.

A sua meta continuava sendo Al Quds e para isso tinha seus aliados trabalhando dentro da Faixa de Gaza.

A sua tarefa não se restringia à sua habilidade militar, somava-se á sua habilidade humana e de diálogo com o outro, mérito que o colocou em missões importantes no campo diplomático.

Quando da retirada das tropas americanas no Iraque foi o General Qassem Soulaimani que deu a proteção e guarida para a sua saída. Foi sob a sua proteção que o exército americano saiu confiante e seguro do pântano que era a guerra do Iraque: coube a este mártir assassinado pelo presidente Donald Trump e o Pentágono americano proteger as forças americanas na sua saída do Iraque em 2011.

Quando, no dia 2 de janeiro de 2020, embarcou em Damasco rumo ao aeroporto de Bagdá, o General Qassem Souleimani portava um passaporte diplomático, e estava sendo esperado em Bagdá, pois levava uma mensagem do governo de Teerã e Riad sobre o pedido americano de desescalada no Golfo.

Esta mensagem seria entregue na manhã do dia 3 de janeiro quando da audiência do General Qassem Souleimani com Adil Abdul AlMahdi. Não foi entregue!

Por ordem de Donald Trump o Pentágono ordenou o ataque ao comboio onde estava o mensageiro General Qassem Soulaimani e Abu Mahdi Al Muhandes, e outras pessoas do cerimonial.

Este é o Modus Operandi americano!

Esta é a “maior democracia do mundo”

Nesta “democracia” a lei da selva prepondera e neste caso foi uma traição onde um covarde mata o portador de uma mensagem!!!

A Federação de Entidades Americano Árabes- Fearab América- se solidariza neste momento de dor com toda a população do Irã e seus aliados do Eixo da Resistência , na sua justa luta pela libertação dos povos do Irã e Iraque e deseja que a paz possa voltar em breve a povoar o seu cotidiano.

Manifesta ainda o seu apoio à sábia decisão do Parlamento Iraquiano, em pedir a retirada das tropas estrangeiras do país.

Estamos certos de que novos tempos se aproximarão do sofrido povo do Iraque e do Irã e que a luta continua!

Nossa sinceras condolências, à família do mártir Qassem Soulaimani e demais mártires que tombaram para defender esta justa luta!!

A escola de Resistência criada pelo General Qassem Souleimani, está com as sementes fecundas e deverá em breve revelar novos combatentes que atingirão a meta principal do nosso mártir: Libertar Al Quds!!

Descanse em paz General Qassem Soulaimani, e sua luta continua a partir da Escola que você cunhou!

São Paulo, 7 de janeiro de 2020

 

 

Claude Fahd Hajjar

Vice Presidente de Fearab América

Editora do site Oriente Mídia

 

Share Button

Deixar um comentário