Ajuda turca e israelense para desmembrar o Iraque e tornar viável um estado kurdo

Share Button

Publicado por Fortune em 23 de junho de 2014
Geoffrey Smith
Tradução Oriente Mídia

Displaced families from the city of Tikrit make their way to Kirkuk June 16, 2014. REUTERS/ Ako Rasheed.

O velho sonho de um estado kurdo está prestes a ser executado enquanto a autoridade do governo central do Iraque briga. O mundo está focado na batalha iminente para Bagdá entre militantes sunitas e as forças do governo, liderado por xiitas, mas o desmembramento real do Iraque poderia estar ocorrendo  mais ao norte, onde a região do Kurdistão parece estar fazendo, cada vez mais, a sua própria carreira para um Estado.

Desde a semana passada, o norte do Iraque, predominantemente kurdo, teve de cuidar de si mesmo, quando forças do governo iraquiano, recuando ante o avanço do Estado
Islâmico do Iraque e Levante (ISIL), deixaram a cidade de Kirkuk,  a maior da região e centro do óleo, deixando junto grande parte das reservas de petróleo do país nas mãos do Governo Regional Kurdo e suas unidades de milícias “peshmerga”.

Um grupo motivado e homogêneo, os peshmerga parecem mais do que capazes de manter-se contra a ISIL, o grupo militante sunita que agora está ameaçando  Bagdá depois de tomar Mossul, a segunda maior cidade Iraque.

Mas, para ser viável, um estado kurdo deve ser capaz de colocar no mercado o seu ativo mais importante, o petróleo bruto, em violação de um acordo de 2004 (patrocinado pela
EUA) para compartilhar as receitas provenientes da venda de óleo com o governo de Bagdá. Como as forças do governo não podem ou não querem  defender o Kurdistão contra o ISSI, para os kurdos parece-lhes que este acordo não tem valor.

Apesar de o Governo Regional Kurdo (KRG) recusar-se a fazer qualquer coisa ruim, parece que ele está cada vez mais livre para dispor de seu óleo como entender. Na sexta-feira, informou a Reuters, que um petroleiro curdo carregado de óleo está planejando atracar no porto israelense de Ashkelon, desafiando as ameaças de ações legais por parte de Bagdá.

Para atingir mercados mundiais, o petróleo kurdo fluí de Kirkuk por oleoduto para o porto turco de Ceyhan no Mediterrâneo. Os fluxos normalmente em média entre 100,000-120,000 barris por dia, e cerca de 2,3 milhões de barris são armazenados atualmente em Ceyhan,  Bloomberg citou, na quinta-feira, o ministro da energia turco Taner Yildiz. Yildiz parecia mais do que dispostos a permitir que os kurdos enviem e vendam o seu petróleo, considerando essas vendas de “inteiramente legítima”.

A evolução da política turca  torna possível a condição de um Estado kurdo, pois o óleo só pode fluir com a permissão da Turquia. Considerada no passado um poder imperial na região, a Turquia teve, até recentemente, o medo de que um Estado kurdo independente pudesse desestabilizar as regiões kurdas em seu próprio sul e leste. Mas agora parecem ver um Estado kurdo como um baluarte contra possível fanatismo sunita, e parece aceitar que o multi- étnica, multi -religioso e democrático Iraque  que os EUA tentou criar e não pôde  salvar.

“Os kurdos do Iraque podem decidir por si mesmos o nome e o tipo de entidade que estão vivendo , “o Rudaw mídia  com base na região kurda,  citou um porta-voz do partido AK do governo da Turquia em uma entrevista sexta-feira.  “A Turquia tem  apoiado a região do Kurdistão até agora e vai continuar este apoio. “

Share Button

Deixar um comentário