A política energética dos EUA

Share Button

O Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, o qual foi, ele mesmo, antigo dirigente da empresa de equipamento petrolífero Sentry International, pediu a ajuda dos seus antigos colegas para pôr em marcha a sua nova política energética. A sua démarche acontece quando os Estados Unidos se tornaram, em onze anos, o primeiro produtor mundial de hidrocarbonetos do mundo, à frente da Arábia Saudita e da Rússia, graças ao petróleo e ao gás de xisto.

Falando perante a CERAWeek em Houston, a 12 de Março de 2019 [1], ele lembrou
- ter lançado sanções contra o Irão a fim de o interditar de exportar hidrocarbonetos;
- outras contra a Venezuela, que deverão excluí-la provisoriamente do mercado mundial;
- e manter o seu Exército no Leste da Síria para a impedir de explorar os seus recursos.

Nesse contexto, o Departamento de Estado espera que a produção dos EUA possa substituir-se na União Europeia à da Rússia e na Ásia à do Irão. Assim, ele estabeleceu um gabinete de Recursos Energéticos dirigido por Francis Fannon.

Agora, os Estados Unidos pressionam a UE para que abandone o projeto Nord Stream 2 [2], e a Opep + para que cesse de reduzir a sua produção de maneira a deixar uma margem de manobra aos países importadores. Simultaneamente, encorajam os países consumidores a dotar-se de novos portos permitindo acolher os petroleiros e navios-tanque de gás dos EUA, em vez de depender dos oleodutos russos.

Esta política deverá acompanhar-se de esforços para reduzir a procura nos Estados Unidos.

Por seu lado , a OPEP + (quer dizer, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e mais dez outros Atores) realizou uma reunião ministerial, a 17 de Março, em Baku (Azerbaijão). Ela constatou a dificuldade em prever o mercado à medida que as autorizações temporárias para comprar petróleo iraniano chegarem ao fim e quando as sanções contra a Venezuela se efetivarão apenas em Abril. O cartel, que se havia constituído em 2016 quando o preço do petróleo bruto era de US $ 40 dólares por barril, pretende continuar a organizar o mercado em alta (hoje, o preço do barril está a cerca de US $ 70 dólares). Ele deverá anular a sua reunião de Abril e esperar por Junho para tomar decisões.

Tradução
Alva

Share Button

Deixar um comentário