Em nome da paz? Como Washington disfarça ocupações com ‘intervenções humanitárias’ 1

Em nome da paz? Como Washington disfarça ocupações com 'intervenções humanitárias'
Caos controlado – eis como frequentemente é denominada a política travada pela Casa Branca no Oriente Médio e que muitas vezes leva à erupção de conflitos tribais, guerras civis e tensões internas, tudo sob o lema dos sagrados valores democráticos. A Sputnik explica quais são os motivos deste conceito de intervenção e qual é o ...

O sonho hegemônico da Arábia Saudita no Mundo árabe e islâmico virou fumaça

Patrick Cockburn – The Independent, (UK) 07/01/2017 Tradução livre de Abu Hana J. T. Cairus A pressão saudita sobre Bashar Al Assad apenas serviu para que a Síria procurasse mais ajuda da Rússia o que precipitou a intervenção dos russos para a qual os EUA não estavam preparados para se opor. Até recentemente, há exatamente ...

Testemunha coparticipante conta como o embaixador Robert Ford ,dos EUA, instigou a “revolução” na Síria

  Da série: Assim Washington monta seus golpes 20/6/2016, Moon of Alabama Traduzido por Vila Vudu Resposta e tuíto originais (imagem), adiante traduzidos S. Rifai, também conhecido como @THE_47th, é um “ativista” sírio, de Homs. Esteve envolvido desde o início de 2011, quando o embaixador dos EUA Robert Ford (@fordrs58) fomentou a “revolução” na Síria. ...

Estratégia do golpe global 1

Manlio Dinucci REDE VOLTAIRE | ROMA (ITÁLIA) | 30 DE MAIO DE 2016 Que ligação existe entre entre sociedades geográfica, histórica e culturalmente distantes, do Kosovo à Líbia e a Síria, do Iraque ao Afeganistão, da Ucrânia ao Brasil e a Venezuela? O traço comum é serem sociedades arrastadas à estratégia global dos Estados Unidos, ...

Presidente Bashar Al Assad em entrevista à revista francesa Valor Actuel

Data: 19/11/2015 Valor Actuel: Qual é o seu comentário sobre o que foi dito pelo presidente francês François Hollande de que “o Presidente Assad não pode ser uma solução, porque ele é parte do problema”. Em sua opinião, isto é um ponto de vista comum? Qual é a sua resposta para isso? Presidente Bashar Al-Assad: ...

WIKILEAKS: Telegramas de Damasco- “Como agir sobre o Governo da República Árabe Síria”

Roebruck, 2006: “Como agir sobre o Governo da República Árabe Síria” Traduzido por Vila Vudu ATENÇÃO: Esse telegrama é sórdido. Embaixadas dos EUA pelo mundo são como metástases de tumor canceroso que avança sempre rumo à morte e a mais e mais destruição. Nada – e olhe-se a questão por onde a olhemos – justifica ...

Moniz Bandeira: EUA promovem desestabilização de democracias na América Latina; atores muito bem pagos atuam na Venezuela, Argentina e Brasil 1

“EUA promovem desestabilização de democracias na América Latina”, denuncia Moniz Bandeira Entrevista concedida ao PT na Câmara e publicada no site da liderança do PT O cientista político e historiador Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira denunciou hoje (17) que os Estados Unidos, por meio de órgãos como CIA, NSA (Agência Nacional de Segurança) e ...

A arrogância de Washington irá destruir seu império

Por Dr. Paul Craig Roberts Global Research, 24/07/ 2014 Washington é o único entre os governos do mundo a exigir que países soberanos sigam as leis de Washington, mesmo quando essas contradigam as leis dos países soberanos. Os exemplos são intermináveis. Por exemplo, Washington forçou a Suiça a violar, e abolir as históricas leis dos segredos ...

Estados Unidos preparam guerras secretas

Foto: Flickr.com/DVIDSHUB/cc-by Militares americanos devem preparar-se para guerras secretas, não declaradas, nos quais forças externas utilizam rebeldes contra governos, diz-se num novo documento oficial do Comando de Operações Especiais dos EUA. Nas entranhas do departamento defensivo americano nasceu mais um documento de fato curioso que tem um caráter não apenas militar-estratégico, mas também político. Na opinião ...

Ganha e perde na Ucrânia

Ganha e perde na Ucrânia
Por MK Bhadrakumar, Indian Punchline. Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu. Depois de oito horas de negociações, que avançaram noite adentro na 5ª-feira (20/2/2014), entre o presidente Viktor Yanukovich da Ucrânia e a “troika” da oposição, Arseniy Yatsenyuk, Oleh Tyahnybok e Vitali Klitschko, chegou-se a um acordo, na manhã da 6ª-feira (21/2/2014) em Kiev que, se espera, ponha fim ...