Para que EUA querem uma base militar nas regiões curdas da Síria?

Share Button

Segundo várias fontes, Washington estaria criando uma base militar no nordeste sírio, mais particularmente, nos territórios controlados pelos curdos, a apenas 70 km da Turquia. Oya Akgonenc Mugisuddin, ex-deputado turco e especialista em relações internacionais, falou com a Sputnik sobre as possíveis razões para tal comportamento norte-americano.

Fonte: SPUTNIK
curdos-soldados

“As notícias sobre a criação de uma base militar norte-americana na região que está sob controle das forças de autodefesa curdas causam certa preocupação. E estas informações parecem ainda mais perigosas dado que os EUA se recusaram a cumprir as decisões tomadas na sequência das negociações em Astana”, confessou o analista.

Mugisuddin recordou que Washington tem armado os curdos sírios. “Por outras palavras, ele tomou seu lado no conflito sírio”, explicou ele à Sputnik Turquia.

O ex-deputado turco apresenta duas possíveis explicações para tal postura: primeiro, os EUA querem obter a possibilidade de travar uma guerra por procuração (“proxy war” em inglês, ou seja, um conflito armado no qual dois países usam as forças de terceiros — os “proxies” — como intermediários, para não entrar em um conflito armado direto) através dos curdos sírios na Síria e no Iraque, já que os aliados dos EUA descartam a hipótese de colocar seus soldados sob controle de comandantes norte-americanos.

Outra eventual razão é que o fizeram visando garantir a segurança de Israel, dado que, na opinião do autor, “a segurança israelense só pode ser garantida caso seja criada uma região curda unida”.

Segundo diz o analista, isto permitirá que Tel Aviv utilize as áreas curdas como uma zona tampão perante possíveis ataques iranianos e, além disso, “sempre terão esta ‘carta curta’ na manga para fazê-la entrar em jogo caso os árabes decidam atacar”.

“Os Estados Unidos devem levar a cabo uma política mais equilibrada no Oriente Médio. Não se pode proteger sempre Israel e criar um Curdistão somente porque Tel Aviv o quer, tendo em conta apenas seus próprios planos e interesses”, realçou Mugisuddin.

O especialista observou que isto pode levar a uma remodelação do Oriente Médio em geral, embora os países vizinhos nesta zona não o permitam. Em consequência, a decisão de estabelecer uma base aérea na Síria sob os auspícios dos EUA “não significa um passo em direção à paz, mas em direção à guerra”.

Anteriormente, uma fonte das Forças Democráticas Sírias, lideradas pelos curdos sírios, confirmou à Sputnik que os EUA colocaram cerca de 800 militares na base perto da povoação de Til Beder, localizada a 35 km de Al-Hasakah.De acordo com informações, a criação desta base visa ajudar as Forças Democráticas Sírias que participam das operações de libertação de Raqqa e Deir ez-Zor.

A base albergará quase 1.000 militares norte-americanos, mas tem capacidade máxima para 5.000 soldados. Além disso, os aviões da Força Aérea dos EUA poderão ser usados no território da base.

Share Button

Deixar um comentário