Abbas e União Européia condenam morte de ministro palestino por forças de Israel

Share Button

Opera Mundi| São Paulo – 10/12/2014 – 15h26

Ziad Abu Ein era responsável pela pasta de ‘Assentamentos e o Muro do Apartheid’ e foi morto em protesto na Cisjordânia; Israel investiga caso/

Um ministro palestino morreu nesta quarta-feira (10/12), ao ser atingido pelas forças israelenses durante um protesto na Cisjordânia. Logo após o incidente, o presidente da ANP (Autoridade Nacional Palestina), Mahmoud Abbas, condenou o ataque e o classificou como “brutal” e “sem nenhuma justificativa”. A União Europeia exigiu inquérito “imediato” par a investigar o caso.

Efe/ arquivo

Foto do ministro palestino  Ziad Abu Ein datada de 29 de novembro deste ano

Segundo um fotógrafo da Reuters que testemunhou a cena, Ziad Abu Ein morreu na ambulância, enquanto era levado para a cidade de Ramallah. De acordo com a agência Efe, Abu Ein era responsável pela pasta “Assentamentos e o Muro do Apartheid”.

“O assassinato de Abu Ein é um ato bárbaro, inaceitável, e não nos manteremos em silêncio perante este crime”, declarou Abbas à agência oficial palestina Wafa. O líder também anunciou que tomará todas as “medidas necessárias” para investigação do caso e das circunstâncias da morte.

Abbas voltou a responsabilizar pelo sofrimento dos palestinos o atual governo israelense, um dos que mais promoveu a ampliação dos assentamentos considerados ilegais pela ONU (Organização das Nações Unidas) na Palestina. O Hamas também condenou o ocorrido e disse que o ministro “foi assassinado enquanto resistia à ocupação”.

Às agências de notícias internacionais, o Exército israelense declarou que examinando o incidente e que o episódio está “sob investigação”

Share Button

Deixar um comentário